O título desta publicação é, possivelmente, tão dramático e problemático como qualquer decisão tomada pelo Donald Trump durante a sua presidência dos Estados Unidos. Mas, ao invés do nosso amado Donald, eu consigo justificar as minhas afirmações sem me fazer passar por doida*.

*disclaimer: na verdade, acontece muitas vezes as pessoas continuarem a achar que tenho algum problema mental, mesmo depois de eu me justificar devidamente. É que há coisas que não se dizem. Dizer que se gostou do A Serbian Film Ã© uma delas.

Há pouco mais de um mês vi, pela primeira vez, o filme A Serbian Film. E sei que há quem o tenha visto por acidente, quem o tenha visto porque fez uma aposta ou quem o tenha visto por simples azar, sem saber muito bem ao que ia. O problema nesta história é que eu, Marta, não fui ao engano. No preciso momento em que carreguei no botão play, eu sabia exactamente que filme estava prestes a ver - e decidi vê-lo na mesma.

A história base do filme é sobre um ator (reformado) de cinema porno, Miloš, cuja família está a passar por dificuldades financeiras. Por isso mesmo, Miloš aceita participar num filme, com a promessa de um cheque que irá alimentar a sua família até ao fim das suas vidas, mesmo sem saber absolutamente nada sobre a história ou sobre o que se vai passar nesse filme.

Caso algum de vocês nunca tenha ouvido falar do A Serbian Film, deixem-me apenas esclarecer que o filme em que Miloš participa acaba por ter pedofilia, necrofilia, violações e completa tortura sexual (e não só).

Ok, calma. No título diz que eu gostei do filme. Está tudo bem? É preciso chamar a polícia?

Vamos por partes. Sou mulher e nunca, em momento algum da minha vida, teria gosto em ver outras mulheres a serem violadas, esventradas e decapitadas (sei que vos estou a dar spoilers sobre o filme, mas, honestamente, duvido que terminem este texto com vontade de o ver). Aliás, não tenho nenhum gosto particular em ver tortura no geral ou qualquer tipo de violência sexual. Sou mulher e estes assuntos deixam-me sempre particularmente incomodada. Mas este filme não fala sobre violência sexual gratuita, apesar de a conter.

A Serbian Film é, acima de tudo, uma obra de arte e uma alegoria política. O realizador do filme fez, aliás, o seguinte comentário:

"Este é um diário de nossa própria violação pelo governo sérvio. É sobre o poder monolítico de líderes que te hipnotizam para fazer coisas que tu não queres. Tu precisas de sentir a violência para saber do que se trata.

O filme tem várias e longas conversas em que o próprio governo sérvio é mencionado - e mesmo quando não é, percebemos que é disso que estão a falar.

Acima de tudo, e querendo ou não fazer um esforço para entender a mensagem política por trás de um projecto tão violento, A Serbian Film é um filme que existe maioritariamente porque pode existir. Foi banido em vários países mas, ainda assim, não deixa de ser dos filmes de terror mais discutidos de sempre. Vukmir, o realizador do filme pornográfico em que MiloÅ¡ participa, fala muito sobre isto durante os 100 minutos - sente-se um realizador incompreendido, que quer fazer uma obra de arte que vai revolucionar o mundo. Um realizador que quer criar uma peça odiada por muitos e idolatrada apenas por uma minoria depravada. Na realidade, A Serbian Film conta quase a história de si mesmo.

Se me focar apenas na cinematografia de A Serbian Film, esta é muito semelhante à cinematografia de outros dos meus filmes preferidos (a paleta de cores, baseada em tons castanhos e pretos, pouco saturados, é semelhante à paleta de cores de The Silence of the Lambs, por exemplo). Os planos escolhidos e as cores deixam-nos desconfortáveis, à beira da indisposição constante. O objectivo é chocar - e é sempre cumprido.

Gostei de A Serbian Film? Gostei da mesma forma que gosto do Saw - aprecio entrar nas partes mais obscuras da mente humana. Perceber qual o processo de pensamento que leva alguém a imaginar as histórias mais macabras. Mas a verdade é que o mundo é macabro. E ver A Serbian Film torna-se mais fácil de digerir quando ouvimos, todos os dias, notícias que relatam as atrocidades cometidas pelo mundo fora. Por muito chocante que esta longa-metragem seja, não consegue ser mais chocante do que a realidade em que vivemos.