Semana do Benfica


[PSA: este vai ser um texto extremamente pessoal, com informação que não devia chocar mas que, infelizmente, ainda choca porque as pessoas que vão para o Carnaval com óculos em forma de pénis depois são as pessoas que têm nojo a ouvir falar em períodos. Pronto, é só mesmo isso, vamos continuar.]

Começas a sofrer dias antes, ainda nem o desgraçado começou. Esta frase diz-te alguma coisa? Provavelmente és uma mulher que ainda não está na menopausa e que conhece demasiado bem o seu amigo que aparece uma vez por mês: o período menstrual.

Quero que se entenda que o meu intuíto aqui não é falar mal do período; pelo contrário, qualquer mulher que odeie crianças como eu sabe que ter o período todos os meses é o equivalente a ganhar a lotaria. Mais um mês em que podemos confiar que o nosso corpo se vai manter sagrado e não destruído por uma gravidez. Moving on. Aquilo que quero é falar mal daquilo de que não se fala sobre o período. Confusos? Vou aprofundar.

Toda a gente sabe que os chocolates são o melhor amigo de uma mulher durante esta fase complicada da sua vida, certo? Errado. Chocolates não ajudam nada a não ser a minha gulodice. A única razão pela qual as mulheres comem mais chocolate durante o período é porque existe essa ideia definida e portanto acabamos por comer mais durante essa altura sem pensarmos muito nas “calorias extra” que vamos ingerir – porque é “normal”. O chocolate mexe com partes do cérebro que libertam toxinas de prazer e, por isso, se estamos muito deprimidas por causa das mudanças de humor relacionadas com o período, o chocolate ajuda um pouquito. Mas sabem o que ajuda bem mais do que chocolates? Um saco de água quente e comprimidos para as dores.

Por falar em dores: odeio tomar comprimidos para o que quer que seja. Não me perguntem porquê, mas só tomo comprimidos se estiver a bater às portas da morte e, ainda bem, nunca me encontrei muito perto dessa situação. Ainda assim, no que toca ao período, chego a tomar um comprimido de oito em oito horas por causa das dores. Isso é dramático. Portanto ofereçam-me uma caixa de Brufen em vez de uma caixa de bombons e serei uma rapariga bem mais feliz.

Feliz dentro do possível no período do período, claro. Porque, tal como disse, começo a sofrer ainda nem a semana do Benfica chegou. Tudo me irrita. Apetece-me chorar. O meu namorado fala demasiado, fico chateada, mas se fala pouco, fico zangada. Apontem um erro insignificante que cometi há imenso tempo e vou ficar em pura depressão durante três dias seguidos. E este humor impossível (per)segue-me até ao fim do período. São dias em que nem numa ilha deserta eu estaria bem – provavelmente o barulho da água ia deixar-me perturbada. A falta de electricidade e de uma máquina de lavar iam deixar-me a salivar que nem um cão raivoso.

Porque máquinas de lavar são importantes no período. A roupa suja-se, independentemente de quão cuidadosa sejas. E ainda assim, sabemos que há roupa para o período. As calças brancas não se usam. Nem aquelas muito giras que só usamos para sair à noite. Há roupa interior para o período. Não pensem que vou usar aquelas adoráveis cuecas que custaram 20€ quando as posso arruinar para sempre. E à noite, o pijama e os lençóis não merecem ficar com manchas para toda a eternidade, por isso o recurso mais efectivo é usar dois pares de roupa interior. Sim, estou mesmo a dizer um par de cuecas por cima de outro par de cuecas.

Se acham que estou a exagerar é porque não sofrem com umas cataratas do Niágara todos os meses. Eu sofro e por isso digo que não há nada de divertido no período, apesar de a EVAX mostrar o contrário nos anúncios. A EVAX quer convencer-nos de que vamos saltar e pular e dançar durante o período. Não. Vamos é morrer deitadas na cama ou no sofá, abraçadas a nós mesmas enquanto as dores quase nos fazem desmaiar. E já que estamos no tópico da EVAX, é bom que se saiba que julgo todas as mulheres que criticam aquelas de nós que só usam pensos e não usam tampões. Lamento imenso se não quero estar desconfortável numa altura em que já estou desconfortável o suficiente. A única razão pela qual eu poderia querer utilizar tampões é para poder ir à praia ou à piscina; mas não gosto de praia, nem sei nadar, portanto os tampões são absolutamente inúteis na minha vida. Parabéns por serem umas otárias em vez de serem solidárias com as colegas de luta.

Por fim, se chegaram até ao fim deste texto sem ter vontade de lavar os olhos com líxivia, quero dizer-vos que são pessoas absolutamente fantásticas porque não olham para uma coisa normal como se fosse o monstro de Lochness. É  sangue, também não é assim tão dramático: sim, estou a olhar directamente para vocês, homens que têm nojo do período. Também tenho nojo de muitos de vocês, no entanto...

Sem comentários:

Enviar um comentário