Marta, a canguru das arribas


Ontem fui, pela primeira vez, fotografar com a minha Canon 750D para um sítio onde, geralmente, só os maluquinhos costumam ir. Fui a Santa Cruz, que é, maioritariamente, praia, mas, em vez de ir para o areal, tirar fotozinhas às pegadas na areia, fui para as arribas. Literalmente passei por cima da cerca de madeira que demarca a zona de segurança e fui lá para o outro lado levar com o ventozinho no corpo.

Caso não seja óbvio ainda, estou viva e não parti nada.

Foto 1. Tirada quando eu ainda estava num sítio perfeitamente normal. A foto nem está nada de especial, só queria mostrá-la porque dá para verem a pontinha da arriba por onde andei a seguir.

 Foto 2. Vista da arriba. Eu sei que acham que sou louca mas, a sério, eu só vou mesmo para a arriba porque a vista de lá é de cortar a respiração. Quase literalmente.

Foto 3. O mesmo de cima. Nem é preciso dizer mais nada. Já agora, conseguem ver no lado inferior da foto o quão perto eu estou da ponta da arriba. Não dá para enganar muito.

Foto 4. Na pontinha da arriba, outra vez. Por esta altura, a minha mãe está algures do outro lado a achar que é hoje que vai ter de ir gastar dinheiro no funeral da filha.  

Ponto 5. Um dia vou escrever um texto sobre quão rudes são os pássaros; esta gaivota achou por bem virar-me o rabo quando eu estava tão carinhosamente a tentar captar o momento da sua passagem. Qualquer das formas, valeu a pena andar em cima de arribas só para capturar isto, que até nem está assim nada de especial.

Tenho a plena noção de que tiro anos de vida à minha mãe, que, coitada, se vê obrigada a levar-me para estes sítios porque eu não tenho carta de condução ainda nem outros meios de transporte. Suponho que também não me sentiria muito confortável a ver a minha prole aos saltinhos num sítio onde as pessoas só vão para se matar - mas não consigo muito evitar isto. Certo é que não tenho ainda treino suficiente nem material para tirar fotos que deixem a National Geographic a babar-se (no outro dia, andei a tirar fotografias macro com uma objectiva 18-55 – sou mas é louca), por isso, sei lá, se calhar não me compensa muito andar em locais relativamente suícidas. Só que a vontade é muita e a capacidade de resistir a essa tentação é pouca.

Já me disseram uma vez (porra, mais do que uma, até; já ouvi professores falarem sobre isto) que, se é para morrer, não vale a pena. Arriscar vale a pena quando existe uma boa probabilidade de se sobreviver e quando o resultado tem, realmente, uma qualidade brilhante. Mas eu também já vos disse antes que a minha sede de adrenalina cresce um bocadinho mais todos os dias - e agora que já tenho uma DSLR nas mãos, já sei que isto daqui para a frente só piora, não melhora. 

Em tom de conclusão, porque não me apetece escrever muito e também não tenho muito sobre o que escrever: tenho a minha 750D há duas semanas e, Deus meu, a felicidade de, finalmente, poder ir para estes sítios e tirar estas fotografias tira-me o fôlego. Agora é praticar, praticar, praticar, tirar muitas fotografias, muitas más fotografias, até ser a deusa disto. E subir a muitas arribas, também. 

P.S: o momento mais hilariante da tarde fui eu, a muitos metros de distância conseguir ver um ninho de gaivotas numa das arribas e depois demorar cinco minutos a mostrar à minha mãe onde é que aquilo estava porque ela não conseguia ver àquela distância. Diga-se: nem eu deveria conseguir ver àquela distância. Não consigo encontrar o telemóvel quando o tenho nas mãos, mas consigo ver ninhos de gaivotas que estão em arribas a quase um quilómetro. A minha visão funciona com alguma lógica? A resposta é não...

5 comentários:

  1. O equipamneto é o menos importante! Antes de comprar outra objectiva tenta tirar o máximo da que tens. Vais ver que descobres técnicas que nunca usarias se tivesses uma outra gama de glass. Procura no youtube que é o melhor sítio para descobrir coisas novas de fotografia :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem sei que o equipamento não tem assim tanta importância ;) Henri Cartier-Bresson disse uma vez que "Your first 10 000 photographs are your worst" e estou muito a contar com isso. As coisas que eu já descobri serem possíveis de fazer com uma 18-55 nas míseras duas semanas que a tive nas mãos são indescritíveis; vou continuar a aprender muito mais daqui para a frente.

      Vou dar uma olhadela no youtube, também; obrigada pela dica!

      P.S: Passei os últimos dois anos da minha vida a fotografar com uma Samsung ES80. *Literalmente* qualquer coisa acima disto é, neste momento, um deus para mim. :)

      Eliminar
  2. ESTOU A PASSAR-ME COM A FALTA DE POSTS, JÁ LI ESTES MILHÕES DE VEZES.
    PRECISO DE NOVIDADES OFICIAIS SUAS, A MENINA SABE QUE PRECISO DE MAIS E MAIS COISAS AHAHAH #istonãofezsentidomasenfim

    ResponderEliminar
  3. Eu quero tantoo uma Canon!! Estou indecisa entre a 750D e a 1200D...
    O que dizes da tua?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A 750D não era a máquina que queria comprar originalmente (queria a 80D mas, infelizmente, não consegui um crédito com valor suficiente para essa... por isso teve de ser esta!), no entanto, estou a adorá-la!
      Uma das coisas que mais me agrada na 750D é o facto de ter um LCD que podes rodar à vontade (chamam-lhe o "Selfie Friendly LCD" porque ajuda se quiseres tirar selfies ahaha). E tem touch screen, também, o que não é exactamente uma coisa positiva ou negativa, mas gosto de tecnologia, por isso é óptimo para mim ;)
      Daquilo que conheço da 1200D, sei que a 750D tem uma capacidade de ISO mais elevada (vai até aos 12800) e a própria performance do ISO em condições de luz fracas é melhor na 750 do que na 1200. Na 750 tens também entrada para microfone, o que é fantástico (mas ainda não tive a oportunidade de experimentar...)

      Infelizmente, continuo a nadar em trabalho da faculdade, por isso tenho tido pouco tempo para ir fotografar, mas com aquilo que já consegui fazer posso dizer que estou absolutamente apaixonada pela 750D. Tive um professor que também me recomendou evitar tudo o que fosse parte da gama dos "mil" da Canon (1200, 1300, etc), por isso se queres uma (honesta) recomendação, a 750D é um bocadinho mais cara mas vale mais a pena! :)

      Eliminar