Ano Novo, Vida Igual


Todos os anos, invariavelmente e um pouco por todo o mundo, as pessoas que não têm mais nada em que pensar decidem (re)fazer as suas resoluções de Ano Novo.

E eu até podia dizer "juro que isto não é um post anti-resoluções de Ano Novo", mas depois estaria a mentir. E ninguém quer isso. Mas também não quero entrar a matar naquele que é o meu primeiro post de 2017 num blogue que ainda nem um dia tem.
Portanto, vamos ver se chegamos a um acordo. Para disfarçar o meu ódio profundo por uma lista de coisas que qualquer pessoa poderia, em qualquer altura do ano, fazer (mas que fica guardada no fundo da gaveta até dia 31 de Dezembro porque o ser humano é, inerentemente, preguiçoso), ficam aqui as minhas resoluções de Ano Novo para 2017.

Este ano, querido ser Ultra Divino que me está a ouvir, vou definitivamente:
  1. Responder a todos os mails que ignorei durante tempo útil. Sim, isto inclui aquele mail de dez páginas escrito por uma colega de trabalho que odeio veementemente;
  2. Limpar aquela divisão da casa que não limpo desde a queda do muro de Berlim. Sim, também lhe vou tirar as baratas todas;
  3. Continuar a falar sobre perder peso. Mas não vou, efectivamente, perder peso nenhum porque a) o peso a mais que tenho não tem a ver com as épocas festivas mas sim com o facto de só comer porcarias durante o ano inteiro e b) gosto menos de me esforçar que o pessoal da função pública;
  4. Ser mais organizada. Isto, obviamente, nada tem a ver com organizar melhor o meu tempo ou o meu armário ou até a minha secretária de trabalho. Não, quando digo ser mais organizada quero dizer "lá para Agosto já sei quais são as minhas resoluções de Ano Novo para 2018, de tão organizada que sou".
  5. Arranjar doze resoluções de Ano Novo. Sim, uma das minhas resoluções é conseguir arranjar doze resoluções. Esta merda é difícil!
  6. Conseguir comer as doze passas ao ritmo das doze badaladas;
  7. Por esta altura vocês acham que já só estou a inventar resoluções para preencher a lista;
  8. Na verdade, vocês têm toda a razão;
  9. Eu avisei, doze resoluções é demasiado;
  10. Merda, ainda vamos na décima?
  11. Quase lá...
  12. Feliz Ano Novo!
Não é uma lista perfeita, obviamente. Tem os seus defeitos, como todas as outras. Mas está realista. Mais realista do que muitas das listas que vejo por aí, em que as pessoas prometem que é em 2017 que vão deixar de fumar (apesar de andarem a promter isso desde a construção das pirâmides no Egipto) e que é em 2017 que vão finalmente declarar-se ao amor da sua vida, apesar de não ser verdade porque a coragem que precisam para fazer isso não aparece magicamente na passagem de ano. Numa outra perspectiva, talvez até aconteça, porque uns copos de champagne a mais são bem capazes de dar essa coragem extra; mas a probabilidade de o amor da vossa vida ficar deliciado com uma declaração feita por alguém embriagado é pequena. 
Em resumo: não cheguei a lado nenhum com este primeiro post do ano. O que é um bocado irónico, na verdade, porque a minha ideia original era explicar que as vossas resoluções de Ano Novo também nunca vão chegar a lado nenhum. Se querem mudar, não precisam de estar à espera do novo ano. O amor da vossa vida pode já nem estar à vossa espera.

Sem comentários:

Enviar um comentário